Que tal rir mais? Ajuda a manter o estresse longe e faz bem ao coração

Entenda por que manter o bom humor é um importante cuidado com a saúde




Resultado de imagem para Que tal rir mais? Ajuda a manter o estresse longe e faz bem ao coração



Quem não gosta de soltar uma boa gargalhada ou rir por horas com os amigos? Pode parecer algo simples, mas rir com frequência faz bem para a saúde, inclusive a do coração.
Quando rimos, a circulação sanguínea aumenta, aprimorando as funções do sistema vascular. Além disso, diminui hormônios como epinefrina, cortisol e dopamina, que são ligados ao estresse, e aumenta as taxas de hormônios como a endorfina, ajudando a manter o bom humor.
E os benefícios não param por aí: rir com frequência ajuda a criar uma sensação de bem-estar e também relaxa os músculos. O resultado disso tudo é um sistema imunológico mais resistente às consequências físicas causadas pelo estresse, diminuindo os impactos do mesmo no corpo.
Portanto, quando estiver estressado lembre-se de sorrir, rir ou mesmo gargalhar mais. Seu coração agradece! 









Rodape

Independente de talento, ‘fazer arte’ reduz o estresse

Pintar fora ou dentro das linhas, tanto faz. 
A expressão artística livre tem efeitos positivos para o corpo e a mente



Resultado de imagem para Pintar fora ou dentro das linhas, tanto faz. A expressão artística livre tem efeitos positivos para o corpo e a mente

Lápis de cor, canetinha, glitter, tinta, massinha de modelar... não se assuste se a próxima receita antiestresse do seu médico for parecida com uma lista de materiais da pré-escola. Uma nova pesquisa realizada pela Universidade de Drexel, na Filadélfia, mostrou que ‘fazer arte’ reduz significativamente os níveis de cortisol, hormônio que desencadeia o estado psicológico alterado e desagradável que caracteriza o estresse.
Os resultados do estudo, publicados na revista da Associação Americana de Arteterapia, mostraram que os efeitos positivos são os mesmos tanto para quem demonstra habilidade com a arte como para quem não têm talento algum. Portanto, se a sua produção artística não evoluiu muito desde o tempo em que suas ‘obras’ eram exibidas na porta da geladeira de seus pais, não tem problema. Bastam 45 minutos por dia dedicados à criação artística para ajudar a reduzir o estresse do corpo.
“Essa é a ideia central da arteterapia: todo mundo é criativo e pode se expressar com as artes visuais quando trabalha em um ambiente propício. No entanto, o esperado era que talvez os efeitos fossem mais fortes naquelas pessoas com experiência prévia”, afirmou o professor de Arteterapias Criativas da Universidade de Drexel, Girija Kaimal.
Quem já está acostumado a usar a arte como escape não se surpreendeu com a comprovação científica do experimento.  A jornalista e doutoranda Juliana Teixeira encontrou no desenho uma forma de aliviar o estresse na época pré-vestibular, que costuma ser desgastante para a maioria dos estudantes. “Eu ia para a aula de manhã e estudava à tarde. Então à noite ou no fim de semana eu me dedicava ao desenho”.  
Se as horas dedicadas ao desenho resultariam ou não em uma bela composição, nunca foi sua preocupação. Suas canetinhas, lápis e papeis sulfites tinham finalidade terapêutica. “Para mim, desenho e pintura são formas de desligamento. Naquela hora, ali, eu me dedicava só para aquilo e esquecia de todo o resto.” Ainda assim, a prática frequente aprimorou a sua técnica. A evolução de seus desenhos acabou sendo um bônus da terapia.
Para a arteterapeuta e pedagoga Aline Barcelos, a expressão artística é uma necessidade muitas vezes reprimida pelas pessoas, pela falta de tempo ou espaço. “O desenho, a pintura, bem como outras tantas outras técnicas e linguagens artísticas podem facilitar a consciência desses fatores reprimidos e procurar soluções para o que nos cansa e estressa. O contato com os materiais e com o nosso silêncio facilita o relaxar mental e emocional, além de possibilitar a transformação na arte e dentro de nós, de forma quase dialética”, explica.
A onda dos livros de colorir
Febre entre os adultos, os livros de colorir estiveram entre os mais vendidos no ano passado. Os best-sellers, que estampavam nas capas as palavras “antiestresse” e “arteterapia”, fisgaram o público mais velho com a promessa de “relaxamento”. Mas, apesar do sucesso, para muita gente os tais passatempos tiveram um efeito contrário.
“Eu me estressava mais”, conta Juliana, que também aderiu à moda. Os desenhos repetitivos e cheios de detalhes tornaram a atividade maçante para a jornalista. Assim como ela, muitas outras pessoas tiveram reações semelhantes em relação aos livros do gênero.
A arteterapeuta explica que por ser uma forma de expressão “engessada”, é normal que esse tipo de atividade artística não traga efeitos terapêuticos. “A Arteterapia é a expressão livre; já os livros de colorir, que podem ser um passatempo, não dão a possibilidade de criação, de transformação. Muitas pessoas, em vez de relaxarem, ficam nervosas por se tratar de algo mecânico e repetitivo”, conclui.





Rodape

a


Atenção à validade das maquiagens


Saiba como guardar e conservar produtos como batom, bases e máscaras para cílios, evitando danos.


Resultado de imagem para Atenção à validade das maquiagens

Sabe aquele seu blush favorito que você tem há anos? Talvez seja hora de conferir a data de validade dele e, se tiver expirado, desapegue. Segundo especialistas, embora pareçam inofensivas, maquiagens fora do prazo de validade podem trazer riscos à saúde, como alergias, manchas, feridas decorrentes de inflamação e até agravar casos de acne.
Segundo Joyce Rodrigues, cosmetóloga, muita gente ignora o prazo de validade de produtos como batom, sombra, pó, máscara de cílios e blush. “As mulheres têm uma sensação de desperdício ao jogar fora um produto que ainda não acabou", explica. “Neste caso, na hora de comprar, é muito melhor escolher as embalagens menores – ainda que o preço das maiores seja mais atrativo. Se este produto não for utilizado dentro do prazo de validade, a economia não terá valido a pena”, completa.
Onde guardar?
Na hora de guardar a maquiagem, pela praticidade, há quem opte pelo banheiro. “Este pode ser o melhor lugar para fazer a maquiagem, mas não para guardar máscaras, sombras e batons. Aliás, é o pior lugar para deixar seus produtos”, adverte Joyce. 
Ela explica: “o calor do banheiro, o vapor que vêm do chuveiro e a pouca ventilação formam um ambiente favorável para proliferar bactérias. Também modificam a composição destes produtos – resultando em alteração de cor, textura e cheiro”.
De acordo com a especialista, o melhor lugar para guardar a maquiagem são os locais secos e escuros. Podem ser em caixas transparentes armazenadas no quarto ou nas gavetas.
Evite contaminar a maquiagem
É possível evitar a contaminação da maquiagem com pequenos cuidados durante a manipulação. Joyce Rodrigues cita alguns deles:
• Há bactérias nas espinhas. Se você usar o corretivo para escondê-las, procure passar com um cotonete, e não o pincel do produto. E não o insira novamente na embalagem. Se for necessário, pegue outro cotonete.
• As máscaras para cílios têm vida curta. Por ter consistência líquida e embalagem escura, tornam-se ideais para as bactérias. Evite bombar o pincel no tubo porque, por levar mais ar ao seu interior, promove a contaminação. Procure, também, lavar o pincel com água quente e xampu neutro com frequência.
• Você está com herpes ou conjuntivite? Não use maquiagem nos lábios e nos olhos. Caso tenha aplicado algum item que tenha pincel, descarte-os porque podem estar contaminados.
• Troque, mensalmente, a esponja dos pós e blushes. E lave os pincéis com xampu neutro e água morna uma vez por mês.
• Carrega maquiagem ou cosméticos na bolsa? O transporte e o calor fazem com que estes produtos durem menos. Procure levar com você apenas o que for realmente necessário.
• Maquiagens compactas duram mais do que as líquidas. Portanto, fique atenta às bases, máscaras, corretivos, gloss e delineadores.
Rodape



5 apps para encorajar a atividade física

Análise do perfil do usuário e sugestão de treinos personalizados são algumas das funcionalidades destes ‘personal trainers’ virtuais.


Resultado de imagem para 5 apps para encorajar a atividade física


Às vezes, nós só precisamos de um empurrãozinho para deixar a zona de conforto e encarar um pouco de atividade física. Quem não conta com um personal trainer para cumprir este papel, pode recorrer à ajuda tecnológica. Diversos aplicativos – com versões gratuitas e pagas – oferecem essa ajudinha especializada e, de quebra, uma dose de incentivo para os treinos, sejam eles de corrida, caminhada ou malhação. Confira nossa seleção de apps fitness para iOS e Android.
Runtastic
O aplicativo desempenha o papel de um personal coach. Com ele é possível medir a distância, o ritmo e as calorias perdidas durante a corrida. Você pode registrar os treinos de corrida em tempo real ou acrescentá-los manualmente, se algum dia esquecer o celular na hora da atividade. Outro recurso interessante é a possibilidade de ver mapas do percurso percorrido em 3D, incluindo montanhas, monumentos e edifícios. O programa mantém um histórico da performance do usuário, com estatísticas mensais, semanais e anuais. Como um bom treinador, utiliza estes dados para estimular a melhora do desempenho.
Disponível para todos os sistemas operacionais
Versão: Gratuito 
Runkeeper
Esse é um bom aplicativo para quem precisa de um pouco de motivação na hora da corrida ou caminhada. Além de registrar automaticamente as atividades do usuário, medindo velocidade, tempo e distância, o app avisa a cada 5 minutos o quão bem você está indo, informando ritmo e distância percorrida. Também é possível configurar seu ‘personal trainer’ para avisá-lo sobre o momento de alternar corrida e caminhada. Outro diferencial é a possibilidade de compartilhar nas redes sociais os resultados das suas corridas e ver o que os seus amigos estão comentando. 
Disponível para: iOS e Android
Versão: Gratuito
Strava Cycling
Assim como os apps de corrida e caminhada, o Strava registra a velocidade, distância e o tempo da corrida, mas com bicicleta. O programa se tornou uma espécie de rede social para quem gosta de pedalar. Suas funcionalidades ajudam o ciclista a analisar seu rendimento, bater recordes próprios ou de outros usuários. Com ajuda do sinal do GPS, o celular coleta informações do exercício – como velocidade, altimetria do terreno, tempo percorrido – e armazena dados do trajeto. O registro do exercício fica disponível para outros usuários fazerem comentários e darem kudos – equivalente ao botão curtir do Facebook.
Disponível para: iOS e Android
Versão: Gratuita e Premium
Nike Training Club 
Mais uma opção para quem precisa de um empurrãozinho, mas não pode gastar com um personal trainer. O app te ajuda a alcançar o seu objetivo com os exercícios físicos, seja ele emagrecer, ficar mais saudável ou mais forte. A partir desta informação, e dos seus dados pessoais, ele cria um treinamento personalizado, baseado em treinos de atletas profissionais. Para manter o usuário sempre motivado, o Training Club oferece recompensas a cada avanço. Também é possível acompanhar o histórico de progresso e compartilhar seus resultados nas redes sociais.
Disponível para: iOS e Android
Versão: Gratuita 
Workout Trainer
Se a desculpa é a falta de tempo para sair de casa ou ir à academia, o Workout Trainer pode ser a solução. O app oferece exercícios diários no celular, orientados por personal trainer, com vídeos tutoriais e áudios explicando detalhadamente como o movimento deve ser feito. A sugestão de treino é personalizada de acordo com seu peso, sexo e objetivo com exercício – perder calorias, ganhar massa muscular etc. Também é possível desafiar um amigo para o exercício como forma de motivar a superação pessoal.
Disponível para: iOS e Android
Versão: Gratuita e Premium


Rodape

Por que evitar o consumo de alimentos ultraprocessados?

Dra. Bruna Pitasi Argueles aborda relação entre os alimentos e as doenças cardiovasculares
Resultado de imagem para Por que evitar o consumo de alimentos ultraprocessados?

Uma tendência de consumo alimentar preocupa: os brasileiros têm reduzido a ingestão de alimentos básicos enquanto a participação de alimentos ultraprocessados ganha cada vez mais espaço no cardápio.
Os alimentos ultraprocessados são aqueles cuja fabricação envolve diversas etapas, técnicas de processamento e ingredientes, muitos deles de uso exclusivamente industrial. São alimentos que apresentam maior densidade energética, mais açúcar livre e gordura trans, em detrimento de proteínas, fibras, vitaminas e minerais. 
Além de possuir uma composição nutricional desbalanceada e favorecer o consumo excessivo de calorias, esse tipo de alimento tem efeitos de longo prazo sobre a saúde - favorecendo as doenças do coração, diabetes e vários tipos de câncer -, e também cumulativos, decorrentes da exposição a vários aditivos nem sempre bem conhecidos. 
“A má alimentação é responsável por diversos problemas de saúde, não apenas os cardiovasculares e é preciso iniciar uma prevenção desde a fase infantil, na hora de preparar o lanche da escola, até a vida adulta”, aconselha a nutricionista Bruna Pitasi Argueles.
A dica é sempre dar preferência aos alimentos in natura – ou seja, aqueles obtidos diretamente de plantas ou de animais sem que tenham sofrido qualquer alteração – como carnes, verduras, legumes e frutas. Ou ainda aos alimentos minimamente processados, que são aqueles submetidos a alterações mínimas como arroz, feijão, farinhas de mandioca e massas frescas. 
A Dra. Bruna Pitasi Argueles é da Coordenação Geral de Alimentação e Nutrição (CGAN) do Ministério da Saúde (MS) e as informações acima foram apresentadas por ela durante o 1º Fórum Sobre as Doenças Cardiovasculares.
Fórum
1º Fórum Sobre as Doenças Cardiovasculares foi realizado em Brasília pelo Instituto Lado a Lado pela Vida, no Dia Mundial do Coração. O evento fez parte da programação 201 do Setembro Vermelho, mês de combate das doenças cardiovasculares, e reuniu parlamentares e especialistas, além da população em geral, para debater o cenário da saúde do coração no Brasil.
Em 2016, nova edição do Fórum está prevista, novamente com realização em Brasília. Aguarde a divulgação da programação e participe.




Rodape