No Líbano, mulheres brasileiras se preparam para doar cabelos para pacientes com câncer





Geeeente, tudo bem com vocês?

Aqui no Líbano ainda está frio. Em Beirute, na Capital, você já consegue sentir um calorzinho de leve.

E falando em calor, vamos falar em calor humano.
Coisas que nós brasileiros entendemos muito bem, né?

Pois é, vocês sabiam que as mulheres brasileiras resolveram doar os seus cabelos?
Calma, é por uma boa causa.

Infelizmente, aqui no Líbano, como nos outros cantos do mundo, existem muitas mulheres com câncer e perder o cabelo, acreditem, é mexer com a vaidade da mulher. Tudo, tudo o que uma paciente não precisa passar durante o tratamento.

Toda mulher gasta com ótimos produtos, tratamentos, com o objetivo de cuidar da cabeleira, mas quando uma doença chega, e com ela os efeitos colaterais, a autoestima da mulher é atingida em cheio. Danou-se?

Danou-se nada, gente!

De forma voluntária, mulheres brasileiras entraram em ação e prometem ajudar pacientes com câncer, aqui no Líbano.

E o sentimento de quem doa?

Mulherada,  vocês sabem aquele cabelo que a gente tanto ama?
Aquela fortuna que investimos para cuidar da saúde dos fios?

Pois é, existe uma ótima recompensa para todo o investimento na cabeleira, sabia?
A recompensa de ver a autoestima regatada de uma paciente que luta pela vida, por meio de uma doação de amor, não tem dinheiro que paga.

Quem doa o seu cabelo (que cabelo para mulheres brasileiras é um verdadeiro tesouro), está contribuindo na esperança de vida dessa mulher.

Sendo assim, quem doa o cabelo para uma paciente com câncer,  pode dizer que já fez quase tudo nessa vida.

Tipo: plantou uma árvore, escreveu um livro, teve filhos, fez a viagem dos sonhos e contribuiu no resgate da autoestima de uma mulher que trava uma luta pela vida.


Toda mulher que luta para vencer o câncer perde o cabelo?

Gente, o papo é sério. Nem todos os tratamentos proporcionam a queda do cabelo. Pelo contrário, existem quimioterápicos que não causam a perda de cabelo. É o caso dos tratamentos para os tumores de colo de útero, cabeça e pescoço.

De acordo com o médico radioncologista Aref Muhieddine, que desenvolve no Líbano e no Brasil, um trabalho voluntário com mulheres jovens com câncer, chamado  “Moça Bonita”, a perda de cabelo só acontece, por exemplo, nos tratamentos quimioterápicos e radioterápicos, que atingem a raiz do cabelo.

Segundo ele, geralmente ocorre em cânceres de mama, linfomas, melanomas, sarcomas, entre outros.
A mulher quando chega no consultório, chega pedindo para não perder o cabelo. Explico que o primeiro deverá ser a busca pela cura e a vaidade em segundo plano. Cuidar do psicológico da paciente jovem com câncer, é um dos principais pontos do “Moça Bonita”, que visa uma abordagem diferenciada com pacientes lutando contra câncer”, salienta o doutor Muhieddine.


Como doar?

É só focar no ato de amor, cortar o cabelo e fazer sua doação ao um hospital do câncer ou a uma ONG. Aqui no Líbano, por exemplo, as doações serão feitas nos próximos dias, com o objetivo de resgatar o sorriso de quem perdeu os cabelos, mas não a luta pela vida.

Se você quer fazer parte dessa corrente do bem, não seja um ativista de sofá e venha ajudar salvar muitas vidas pelo mundo.

Se liga aí.

- O cabelo precisa ter, no mínimo, 10 centímetros.
- Não há restrição em relação à cor ou tipo de cabelo, mas, quanto mais natural, melhor.
- Fios muito descoloridos ou com dreads geralmente não são aceitos, pois a fragilidade deles impede que sejam presos à base da prótese de forma correta.
- A dica da fundação Laço Rosa (no Brasil) é avisar ao seu cabeleireiro que quer cortar para doar e pedir que ele separe com um elástico a ponta da raiz. 
- Nunca deixe os fios cortados tocarem o chão.
- Na maioria delas os cabelos podem ser entregues pessoalmente ou até mesmo enviadas pelos Correios. Nesse caso, deve ser usado um saco plástico e os fios precisam estar secos.
- Entre em contato antes para saber a melhor forma de proceder.
Beijos, gente.

#nasegundaalucomeça #Todosjuntoscontraocâncer #doação #amor #solidariedade