MÉDICOS ACHAM QUE PACIENTES NÃO USAM PROTETOR SOLAR SUFICIENTE, DIZ ESTUDO

Apesar de a maior parte dos dermatologistas recomendarem o uso de filtro solar para prevenir câncer de pele e envelhecimento prematuro, quase todos acreditam que seus pacientes não estão seguindo o conselho de forma adequada, segundo sugere um pequeno estudo feito nos Estados Unidos e publicado em outubro na revista “JAMA Dermatology”.
“Existe uma longa e compreensível lista de razões pelas quais a maioria das pessoas não usa filtro solar o suficiente: a loção é desconfortável, inconveniente de aplicar, nem sempre disponível, cara e a lista continua”, diz o principal autor do estudo. Aaron Farberg, da Escola de Medicna Icahn do Hospital Monte Sinai, em  Nova York.
“No entanto, sabemos que raios solares UV provocam câncer de pele, por isso, enquanto dermatologistas, queremos encorajar nossos pacientes a melhorar continuamente sua proteção solar”, acrescentou Farberg, por e-mail. “Isso inclui usar protetor solar, procurar sombra e usar roupas que protegem contra o sol, além de óculos escuros.”
Em uma pesquisa com 156 dermatologistas americanos, cada um deles concordou que o protetor solar reduz o envelhecimento da pele, ou fotoenvelhecimento, e 97% deles concordaram que também reduz o risco de câncer.
Mas 99% desses médicos também acham que seus pacientes não aplicam filtro solar de forma suficiente.
A maior parte das pessoas precisa de quase 30 ml de filtro solar para cobrir todas as partes expostas do corpo, de acordo com a Associação Americana de Dermatologia (AAD).
O produto deve proteger contra UVA e UVB e ter um fator de proteção solar de 30 ou mais, segundo recomendação da AAD. O produto deve ser aplicado 15 minutos antes da exposição ao sol e ser reaplicado a cada duas horas ou depois de entrar na água ou transpirar.
Fonte: ExpressoMT