Lingerie que não compromete a saúde: veja fatores na hora de escolher calcinha e sutiã

Escolher a lingerie apenas pensando em seu poder de sedução, dando atenção somente a questões estéticas e ignorando conforto e modelo que combinem com seu corpo pode comprometer seriamente a sua saúde. Confira fatores que precisam ser levados em conta na hora de comprar e vestir calcinha e sutiã:

Como escolher a calcinha ideal

A grande variedade de formatos, tamanhos e tecidos pode causar confusão e indecisão na hora de fazer uma escolha correta. Para proteger a região íntima, aprenda como deve ser a calcinha que não compromete a saúde feminina:

Tecido certo da calcinha

Calcinhas feitas de tecidos sintéticos, como o elastano e a renda, devem ser usadas apenas em ocasiões especiais, já que podem causar irritação e incômodo. No dia a dia, o ideal é usar calcinhas de algodão, que permitem a passagem de ar, evitando que a vulva fique abafada e úmida, o que pode desequilibrar seu pH vaginal e permitir que micro-organismos oportunistas, como a Candida albicans, se prolifere e cause infecções.

Modelo certo de calcinha

O ideal é sempre optar sempre por um modelo que fique confortável em seu corpo, que não fique pegando em nenhuma parte, como a calcinha fio dental, por exemplo. Usar calcinha fio dental todos os dias pode aumentar o risco de feridas locais em função do atrito com o tecido, além de dificultar a respiração da pele e deixar a vulva mais exposta.
Mulheres que já têm tendência ao desenvolvimento de hemorroida também devem evitar o fio dental, pois a pressão que o tecido causa em função da proximidade com o ânus pode agravar ainda mais a doença.

Tamanho certo da calcinha

Pode demorar um pouco para testar e saber qual o seu número exato de peça íntima, mas é importante que ela tenha caimento perfeito em você. Além de desconfortáveis, calcinhas apertadas demais não vão deixar a pele respirar como deveria e podem comprimir os vasos linfáticos, causando celulite. Calcinhas largas, por sua vez, podem te deixar insegura e desprotegida em sua área íntima do atrito de uma calça, por exemplo.
Uma calcinha com elástico apertado demais, além de marcar a pele, pode causar dores e comprometer as circulações sanguínea e linfática. Se você estiver saudável, a circulação se restaurará rapidamente, mas os machucados na pele podem ficar por mais tempo.
Veja sinais que sua vagina dá de que há um desequilíbrio na sua flora vaginal

Cores de calcinhas

Pouca gente sabe, mas até mesmo as cores da peça íntima podem causar problemas de saúde. Apesar de ser pouco comum, algumas mulheres podem apresentar alergias a pigmentos usados para deixar as roupas coloridas. O ideal, portanto, é optar por tecidos brancos e lavar a calcinha até que ela pare de soltar tinta também pode ajudar.

O jeito certo de lavar calcinha

Procure usar água quente para ajudar na eliminação de bactérias, nunca misture a lingerie com as roupas normais na máquina de lavar. Se precisar, use saquinhos protetores. Para lavar a calcinha à mão, use sabão neutro ou de coco e dispense o uso de amaciantes e sabão em pó.
Nunca deixe a calcinha secando no box do banheiro, pois o ambiente é úmido demais e pode favorecer o surgimento de fungos. Pendure a peça íntima do lado em um lugar arejado e, se possível, passe o ferro no fundo da lingerie para acabar com possíveis fungos e bactérias.

Como escolher o sutiã ideal

Se você usa e escolhe um sutiã apenas com questões estéticas em mente, saiba que, além de garantir sustentação e ser uma espécie de arma de sedução, a peça merece atenção por influenciar diretamente na sua saúde.

Tamanho certo de sutiã

Usar um sutiã apertado vai muito além de um simples incômodo e pode provocar problemas de postura, já que a peça pode comprimir a coluna e fazer com você se curve para frente, em uma tentativa de aliviar a dor.
Um sutiã pequeno ainda pode causar limitação dos movimentos que, a longo prazo, muda a biomecânica da coluna, alterando a maneira como a mulher mantém a postura. A dificuldade em realizar movimentos simples ainda pode atrapalhar a respiração, cansaço e dores no estômago.

Quando trocar o sutiã

Usar o mesmo sutiã mais de duas vezes seguidas sem lavar pode fazer mal à saúde. O corpo humano é fonte de calor e, por isso, costuma abrigar diversos tipos de bactérias. Os seios e as axilas, áreas que entram em contato direto com o sutiã são quentes e, por isso, a peça deve ser trocada e higienizada corretamente.
Além disso, vale lembrar que especialistas recomendam que o sutiã de uso contínuo seja descartado a cada 12 meses para que a sustentação dos seios não seja comprometida.

Como lavar sutiã corretamente

Lavar o sutiã na máquina de lavar não é recomendável, já que, por ser bastante delicado, pode ter sua elasticidade afetada e ter sua vida útil diminuída.
Uma simples mistura de 2 colheres de chá de xampu de bebê em água morna pode ser uma boa solução para lavar a peça sem estragar ou deformar. Para secar a lingerie, use uma secadora de folhas de salada.
ESCRITO PORPAULO NOBUOFoto de Paulo Nobuo