INFLUÊNCIA DO ESTILO DE VIDA NO CÂNCER DE ESTÔMAGO

voc-tipos-estomago-ag-visuell-822x463




De forma geral, os vegetais são ricos em antioxidantes e, assim, são potencialmente protetores contra esse tipo de câncer.

Os vegetais crucíferos, como o brócolis e a couve-flor, podem ter papel protetor. As frutas, inclusive as cítricas, contêm grande quantidade de antioxidantes. Como a infecção do estômago pela bactéria Helicobacter pylori é um dos principais fatores predisponentes para o câncer de estômago, acredita-se que o alho e a cebola sejam protetores, pois ambos têm ação bactericida (matam bactérias), e que as propriedades antioxidantes das frutas inibam a gastrite pelo H. pylori, protegendo contra os tipos mais frequentes de câncer gástrico.

Vegetais salgados, como os picles, ou fermentados, predispõem ao câncer de estômago.

A soja e seus derivados possuem substâncias, como as isoflavonas, que protegem contra o câncer de estômago.

O consumo de produtos lácteos fermentados, como o iogurte, e a ingestão de probióticos (substâncias ricas em bacilos vivos, que “reconstituem a microbiota intestinal”) reduzem a infecção do estômago pela bactéria H. pylori, contribuindo assim para protegê-lo da ocorrência de câncer.

O álcool predispõe ao câncer de estômago por liberar o que chamamos de radicais livres, substâncias que agridem o revestimento interno do estômago (mucosa) e estimulam a formação de substâncias que favorecem o aparecimento do câncer.

As carnes processadas, salgadas e conservadas devem ser evitadas, pois contêm, além do sal, substâncias que predispõem ao aparecimento do câncer.

O sal em excesso, por si só, agride a mucosa do estômago, podendo levar a alterações predisponentes ao câncer. No entanto, os estudos não são conclusivos. É possível que o efeito maléfico do excesso de sal só tenha impacto naqueles indivíduos infectados pelo H. pylori.

O papel das vitaminas A e E na proteção contra o câncer de estômago não é muito claro, embora essas vitaminas tenham ação antioxidante potente. Por outro lado, há evidências muito mais sólidas referentes à ação protetora da vitamina C, que diminui tanto a gastrite causada pelo H. pylori quanto a incidência da própria bactéria no estômago. O selênio também tem propriedades antioxidantes e parece exercer ação protetora contra o câncer gástrico.