Manteiga ou margarina? Cortar ou não o glúten? Especialista desvenda mitos sobre alimentação

Muito além de manter a forma física, a alimentação correta é fundamental para a saúde geral do corpo. Confira alguns mitos e verdades sobre o tema.

Portal Instituto Lado a Lado Pela Vida.
Resultado de imagem para imagens de manteiga


Quando o assunto é alimentação saudável, nutrição e emagrecimento é comum encontrarmos informações contraditórias, dúvidas e dicas milagrosas sem qualquer embasamento científico. Dos poderes mágicos atribuídos aos superalimentos ao radicalismo das dietas restritivas, são muitos os mitos que cercam o assunto. 
Para ajudar quem quer aderir à alimentação saudável e deixar a saúde em dia, pedimos à nutricionista Fernanda Maluhy, membro do comitê científico do Instituto Lado a Lado pela Vida, para esclarecer algumas questões comuns sobre o tema.
Instituto Lado a Lado – Margarina é mais saudável que manteiga? 
Fernanda Maluhy – Não. Margarina é um produto extremamente industrializado, com adição de conservantes, uma gordura trans maléfica à saúde. A manteiga é muito mais natural e benéfica, se usada com moderação. 
LAL – Lactose e glúten fazem mal? 
FM – Não necessariamente. Se consumidos com moderação podem sim fazer parte de um         plano alimentar. O excesso é prejudicial por serem inflamatórios.
LAL – Dietas sem glúten e sem lactose são mais saudáveis?
FM – Não necessariamente. É preciso tomar muito cuidado com esses produtos isentos de lactose e glúten com a alegação de serem mais saudáveis. Muitas vezes os ingredientes que estão em suas composições são até mais prejudiciais, contém mais aditivos químicos ou mais açúcares por exemplo. Substituir a farinha de trigo (que contém glúten) por outra farinha branca sem adição de glúten é trocar 6 por meia dúzia. 
LAL – Cortar o glúten e a lactose pode causar deficiência nutricional? 
FM – Não causa deficiência nutricional. O glúten e a lactose não são exclusivos em termos de nutrientes, vitaminas e minerais.
LAL – Ovos fazem mal ao coração?
FM – Não. Estudos mostram que o consumo de ovos não está associado ao aparecimento de doenças cardiovasculares. Já o consumo em excesso de açúcares e carboidratos refinados, por exemplo, pode sim levar ao desenvolvimento de doenças cardíacas.
LAL – Cortar gordura ou carboidrato é a melhor maneira de perder peso?
FM – Cortar gordura não é uma estratégia indicada para quem quer emagrecimento, pois é ela quem gera saciedade. Já os carboidratos devem, sim, ser reduzidos da dieta e/ou substituídos por carboidratos de baixo índice glicêmico, ou seja, aqueles que não geram picos de glicemia no sangue, como pão integral, ervilha, cenoura, mação, aveia, amendoim...
LAL – Carne é a única fonte completa de proteína?
FM – Não, temos outros alimentos que também são fontes de proteínas completas como: peixe, frango, ovos.
LAL – Alimentos orgânicos são mais nutritivos? 
FM – O consumo dos alimentos orgânicos é sempre mais indicado, principalmente por estarem livres de qualquer tipo de pesticida e/ou agroquímicos, preservando, desta forma, os compostos bioativos e nutrientes presentes nos alimentos. Mas isso não quer dizer que os vegetais e frutas que não sejam orgânicos também não possuam, porém tudo indica que estes nutrientes estão em menores quantidades. Segundo o INCA, regiões com alto uso de agrotóxicos apresentam incidência de câncer bem acima da média nacional e mundial. Portando, a ingestão excessiva desses agrotóxicos traz malefícios à saúde.
LAL – Alimentos integrais são melhores opções? 
FM – Na teoria sim. Porém, muitos produtos são vendidos como integrais e possuem maior quantidade de farinha branca do que a integral. É preciso se certificar para saber se o produto é 100% integral. Se forem à base somente de ingredientes integrais eles vão possuir maior quantidade de fibras, vitaminas, minerais e não vão gerar picos de glicemia como os brancos, porém são carboidratos do mesmo jeito e vão virar açúcar também. Ou seja, devem ser consumidos com moderação principalmente para quem está em fase de emagrecimento.
LAL – Posso criar uma dieta baseada apenas nas calorias dos alimentos? 
FM – Não. A qualidade do alimento, o quanto ele vai te oferecer de nutriente e como ele vai se comportar no organismo, é extremamente importante. Não adianta um alimento ter baixo valor calórico, mas não ter nutriente algum para te oferecer e/ou possuir excesso de outros como sódio, açúcar, carboidratos, não trazendo benefício algum para o organismo.
LAL – Devemos comer de 3 em 3 horas?
FM – Não necessariamente. Não deve ser jamais uma regra. Isso depende do objetivo. Para ganhar massa muscular, por exemplo, é indicado, sim, se alimentar de 3 em 3 horas. Mas para emagrecimento não é uma regra. O ideal é sempre respeitar as necessidades e fome física do organismo. Comer sem ter apetite não tem lógica.
LAL – Alimentos assados são melhores que os fritos? 
FM – Geralmente sim. Quando o alimento é frito, ele tem seu valor calórico aumentado em média em 150 kcal, equivalente a quase 3 vezes mais do que quando ele é cozido ou assado. Além disso, o óleo passa por diversas transformações, devido à elevação da sua temperatura. Quando essa está muito alta, libera uma fumaça e, com isso, substâncias tóxicas nos alimentos.
 


Rodape