Estilo de vida é fator para desenvolvimento de câncer

shutterstock_222626152editada



O câncer é uma doença genética, mas isso não significa que seja hereditária. Na realidade, na grande maioria dos casos, os tumores estão relacionados a fatores de risco ambientais que incluem o estilo de vida e os hábitos adotados pelas pessoas.
O consumo de bebida alcoólica é muito comum nos dias de hoje, inclusive entre jovens. Porém, tal hábito também tem sido associado ao aumento do risco de desenvolvimento de tumores. Os cânceres de fígado, esôfago, mama, cabeça e pescoço (boca, laringe etc) estão intimamente relacionados ao uso de bebida alcoólica. Pior ainda é para os que bebem e fumam. Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), o cigarro é a principal causa de morte evitável em todo o mundo, sendo responsável por 63% dos óbitos relacionados às doenças crônicas não transmissíveis. Além disso, o cigarro é o responsável por 30% das mortes por diversos tipos de câncer.
Obesidade
A obesidade aumenta a probabilidade de morte por câncer, portanto ela representa um fator de prognóstico da doença. Em estudo publicado recentemente na revista científica Lancet (2014), os pesquisadores concluíram que a obesidade está relacionada a vários tipos de tumores, especialmente os cânceres de intestino grosso, mama na mulher na pós-menopausa, endométrio (camada fina do útero responsável pela menstruação), rim, vesícula biliar, esôfago, ovário, fígado, tireoide e leucemia.
Dieta
A alimentação inadequada tem sido associada ao desenvolvimento de alguns tipos da doença, especialmente os de mama, intestino grosso, próstata, esôfago e estômago. A ingestão excessiva de gordura, por exemplo, aumenta a incidência de câncer de mama, enquanto a ingestão excessiva de carne vermelha tem sido relacionada ao aumento da incidência de tumores de intestino grosso. A ingestão de fruta, verduras e legumes apresenta um efeito protetor contra o desenvolvimento do câncer, reduzindo sua incidência.
Exposição solar
O câncer de pele é o tumor de maior incidência no Brasil. A doença se desenvolve principalmente nas áreas do corpo que ficam mais expostas ao sol, por isso o hábito de se bronzear ou simplesmente de se expor ao sol frequentemente é considerado um fator de risco. Entre as recomendações estão usar filtro solar, chapéu e guarda-sol sempre que se expor ao sol; reaplicar o filtro solar a cada duas horas; visitar o dermatologista pelo menos uma vez ao ano e ficar atento a pintas assimétricas.
Infecções por alguns tipos de vírus
Alguns vírus são considerados carcinogênicos, ou seja, capazes de provocar câncer. Assim, estilo de vida e hábitos que aumentem a exposição e o risco de infecção por esses vírus constituem fatores de risco para o desenvolvimento do câncer. Certos tipos de comportamento sexual aumentam a chance de exposição a alguns vírus sexualmente transmissíveis, que estão relacionados a tipos específicos de câncer. Como exemplo, podemos citar o HPV, associado ao câncer do colo uterino e também ao câncer de orofaringe; o vírus da Hepatite B, associado ao câncer de fígado e o vírus HIV, associado ao desenvolvimento de alguns tipos de câncer do sistema imune.