Exercícios ajudam a prevenir osteoporose e fraturas

Fragilidade óssea, causada pelo sedentarismo atinge em maior parte a terceira idade
Por Da Redação - Publicado 05/02/2015 - Atualizado 05/02/2015
Exercícios ajudam a prevenir osteoporose e fraturas
A hipótese é a de que os exercícios físicos são os principais responsáveis pela prevenção de riscos de fraturas e osteoporose na vida adulta
Com a ajuda da arqueologia pode-se entender as mudanças da estrutura física humana e como a vida moderna tem influenciado no desenvolvimento do corpo.
Um novo estudo, publicado no jornal PNAS, mostra que enquanto humanos caçadores e coletores há 7.000 anos atrás tinham ossos comparáveis em resistência aos de um orangotango, humanos agricultores da mesma área só que há 6.000 anos atrás, possuíam ossos mais leves e fracos, mais sujeitos a fraturas.
A massa óssea nestes “agricultores” era aproximadamente 20% menor que nos “caçadores”. O mesmo acontece a um astronauta se passar 3 meses no espaço, sem a ação da gravidade.
Pesquisadores da Universidade de Cambridge realizaram estudos radiológicos do osso humano e compararam com o dos primatas, focando mais na área da “cabeça” do fêmur – a parte que encaixa no quadril e muito frequentemente nos dias atuais é relacionada as temidas fraturas na terceira idade, com índices de mortalidade e complicações elevados.
Na pesquisa foi notado que o osso trabecular dos humanos caçadores existia um volume muito superior que o dos agricultores. É esta parte que gera a capacidade de mudar e se adaptar – os cientistas chamam de “plasticidade” – o que possibilita ao osso mudar de direção e tamanho dependendo das cargas de tensão e esforço físico impostos sobre ele, formando uma “liga” para o osso esponjoso e mole ficar muito mais resistente.
Após excluir a dieta e tamanhos corporais como possíveis causas para esta diferença, os pesquisadores concluíram que foram as reduções na atividade física como sendo a verdadeira causa desta “degradação” óssea na escala da evolução humana desta região em 1.000 anos.
A hipótese é a de que os exercícios físicos são os principais responsáveis pela prevenção de riscos de fraturas e osteoporose na vida adulta, ao contrário do que se pensava ser a dieta. A atividade deve ser iniciada precocemente, já na primeira infância, e realizada de forma contínua, para produzir um pico maior de resistência e massa óssea próximo dos 30 anos de idade, o que gerará proteção extra para reduzir a osteoporose e fraturas na terceira idade.

Instituto Lado a Lado pela Vida