Teste do pezinho previne diversas doenças precocemente



Teste do pezinho previne diversas doenças precocemente

A triagem é realizada com gotas de sangue do bebê, obtidas com a punção do calcanhar dos recém-nascidos

No próximo sábado, dia 6, celebra-se o Dia Nacional do Teste do Pezinho, como é conhecido popularmente a triagem neonatal. Desde 1992, esse exame é obrigatório e realizado nas maternidades de todo o País. Com apenas algumas gotas de sangue, recolhidas do calcanhar, logo após o nascimento, diversas doenças são diagnosticadas precocemente. 

O Sistema Único de Saúde (SUS) instituiu o Programa Nacional de Triagem Neonatal, que cobre a identificação de até seis doenças (fenilcetonúria; hipotireoidismo congênito; anemia falciforme; fibrose cística; hiperplasia adrenal congênita e deficiência da biotinidase). Mas nem todos os estados brasileiros realizam os seis testes. O programa prevê quatro fases do teste do pezinho, às quais os estados devem se adequar: a primeira fase detecta as doenças fenilcetonúria e hipotireoidismo congênito; a segunda inclui a anemia falciforme; a terceira fase abrange a fibrose cística e a quarta, a deficiência de biotinidase e a hiperplasia adrenal congênita.
Além da realização do teste, o SUS garante atendimento com médicos especialistas a todos os pacientes triados positivamente para as seis doenças. Fornece tratamento adequado gratuito e acompanhamento da criança com a doença por toda a vida nos serviços de referência em triagem neonatal em todos os estados brasileiros. Na saúde suplementar a realização o teste do pezinho também é obrigatório a todos os nascimentos. Mas todo exame com mais do que as seis doenças referidas são pagas à parte pelos pais. Quanto mais doenças triadas, mais elevado é o valor do exame. 
Essas doenças podem ser muito graves, frequentemente levando a retardo mental, atrasos graves no desenvolvimento, problemas no fígado, coração, rins entre outros órgãos. A identificação precoce permite tratamento eficaz com melhora da qualidade de vida da criança e família.
Como é o procedimento?
A triagem é realizada a partir de algumas gotas de sangue do bebê, obtidas com a punção do calcanhar dos recém-nascidos e coletadas em papel-filtro. Esse sangue seco é extraído no laboratório e permite a pesquisa de doenças específicas. O período ideal de coleta do material para a realização do teste é entre o segundo e o quinto dias de vida.

Fonte: Instituto Lado a Lado com a vida.