Após tragédia na Disney, uma mãe deu a maior lição de compaixão no Facebook: veja

O menino Lane Graves, de apenas 2 anos, foi arrastado por um jacaré para dentro de uma lagoa enquanto brincava às margens no “Grand Floridian Resort and Spa”, um complexo da Disney, em Orlando, nos EUA. A notícia emocionou o mundo todo e levantou questionamentos sobre a responsabilidade dos pais da criança na tragédia.

Tragédia na Disney

Os pais e a irmã mais velha do menino estavam no jardim e viram o exato momento em que o menino foi arrastado para dentro da lagoa. O pai de Lane ainda entrou na água e tentou salvar o menino, mas não conseguiu. No local do acidente, não havia placas sobre a presença de jacarés.
O corpo da criança foi encontrado intacto submerso na lagoa menos de 24 horas após o ataque de jacaré.
Publicidade

Mãe sensibilizada e lição de empatia

A americana Jennifer Venditti, que estava no mesmo resort no dia da tragédia, comoveu a todos com um post publicado em seu Facebook. Na contramão dos julgamentos que tentavam culpar os pais do menino, ela deu uma verdadeira aula de solidariedade e empatia.
Ela postou duas fotos que tirou do próprio filho no dia do acidente fatal com a criança de dois anos. Nas imagens, o filho de Jennifer aparece brincando na margem da mesma lagoa em que aconteceu a tragédia horas depois. 
No post, ela se solidarizou com a família da vítima: “Eu posso assegurar a vocês que a possibilidade de existir jacarés ali nem passou pela minha cabeça quando Channing estava na água. É uma praia minúscula, rodeada de piscinas, escorregadores, restaurante e fogueira. Eu não consigo imaginar que um jacaré pudesse estar em um lugar tão cheio e pequeno”.
Ao final do texto, ela usou uma hashtag que dizia "julguem menos, rezem mais".
Leia o relato completo de uma mãe que estava no mesmo lugar:
“REZE, REZE muito pela família e pelas pessoas que presenciaram este evento trágico. Eu tirei estas fotos no lugar exato em que ocorreu (a tragédia) entre 20h e 20h30. O acidente aconteceu às 21h. Helicópteros sobrevoaram o local até 1h da manhã e retornaram ao local ao amanhecer. Eu imagino que ninguém conseguiu dormir sabendo que o helicóptero estava buscando uma criança desaparecida que foi levada por um jacaré. Eu não posso ajudar, mas me pergunto se eu brinquei com ele, eu falei com a mãe dele? Como alguém vai para casa sem o seu bebê?
Eu já vi alguns posts criticando os pais. Eu posso assegurar a vocês que a possibilidade de existir jacarés ali nem passaram pela minha cabeça quando Channing estava na água. É uma praia minúscula, rodeada de piscinas, escorregadores, restaurante e fogueira. Eu não consigo imaginar que um jacaré pudesse estar em um lugar tão cheio e pequeno”.

Categoria: