A VIDA E A ARTE DE TUNGA




Essa semana o Brasil encarou a notícia da morte do artista plástico Tunga. Nascido em 1952, na cidade de Palmares (PE), concluiu o curso de Arquitetura e Urbanismo no Rio de Janeiro em 1974, e foi no período como estudante que começou a exposição de suas obras. Em 1982 alcançou mundo afora: sua arte participou de exposição na Bienal de Veneza. E então sua vida foi cercada de arte, até que em 1990 ganha um prêmio por seu trabalho: o Prêmio Brasília de Artes Plásticas. As exposições e prêmios não pararam, ele chegou até a expor sob teto do famoso Louvre, em 2004.
Artista plástico, escultor, desenhista e performático, Tunga deixou suas marcas pelo mundo: ele espalhou sua cor e sua reflexão. Tunga morreu nessa semana com 64 anos. Ele estava em uma luta contra câncer, ficou internado em Campinas por 3 semanas.
Esse grande artista deixará saudade! Ficamos então aqui admirando suas obras.
“Sempre gostei de bagunça. Não de ordem nem desordem. Bagunça. O que tenho a mão vou mexendo até perder, pra depois achar de novo. Achando o que perdi acho o novo de novo, reencontro o novo no velho – é como a luz, a velha luz, descansada e sempre nova de novo” – Tunga

Fios de Cobre



Formas Galpão



FONTE: Diário de Pernambuco