Criopreservação como possibilidade de garantir a gestação após o tratamento

As mulheres que enfrentam o tratamento do câncer de mama podem, posteriormente, ter dificuldades para engravidar.
A criopreservação é uma forma de dar segurança às mulheres que desejam realizar o sonho de serem mães, pois os óvulos permanecem armazenados em baixas temperaturas, possibilitando assim, um futuro tratamento para gravidez.
Saiba mais: http://bit.ly/1XC4knA
Foto de Femama Brasil.
opções para preservar a fertilidade em mulheres que foram diagnosticadas com câncer sim! A tecnologia permite que o seu médico remova e congele seus óvulos (embriões), ou tecido ovariano antes de tratar o câncer. Dessa forma, se tem uma chance maior de engravidar após o tratamento. Este processo é chamado de criopreservação ou congelamento de óvulos
Os cânceres mais comuns em mulheres jovens são Hodgkin ou linfoma não-Hodgkin, leucemia, câncer da tireoide, câncer de mama, melanoma, ou cânceres ginecológicos (colo do útero, útero, ovário). A maioria destes cancros podem ser tratados com quimioterapia, radiação, ou uma combinação de ambos. Diversos fatores determinam se a mulher ficará infértil após o tratamento: idade avançada, dose e o local da radiação e os tipos de drogas da quimioterapia que lhe forem receitadas. A quimioterapia é eficaz no tratamento de muitos cancros, mas pode prejudicar ou diminuir o número de óvulos.
Embrião criopreservação
Embrião criopreservação é a forma mais comum de preservar a sua possibilidade de engravidar no futuro. A mulher deverá passar por um procedimento chamado de fertilização in vitro (FIV). Nela será receitado hormônios para estimular os ovários a produzir uma série de óvulos. Uma vez que eles são desenvolvidos, serão removidos por uma sucção suave. Os embriões são criados em laboratório com a união do esperma e o óvulo e após isso os óvulos ou/e os embriões fertilizados serão congelados. Se você decidir que quer ter filhos após o tratamento completo do câncer, um ou dois embriões podem ser colocados em seu útero com ou sem a ajuda de medicamentos.
Infelizmente, nem todo mundo pode passar por este tipo de procedimento. Será preciso tomar medicamentos que estimulam a produção de mais óvulos do que o habitual e no total, o processo pode ter de 2 a 3 semanas para completar. Se for preciso passar pela quimioterapia ou radioterapia para o câncer com urgência, você pode não conseguir esperar tanto tempo. Os medicamentos que fazem seu corpo produzir mais óvulos também pode fazer seu corpo produzir mais hormônios, como o estrogênio, e esse hormônio em grande quantidade pode fazer alguns tipos de câncer piorarem.
O procedimentos para óvulos de congelação melhoraram muito nos últimos 10 anos, tornando esta uma boa opção para muitas mulheres. Apesar do sucesso do congelamento de óvulos, as taxas de gravidez são ainda mais elevadas por embrião congelado do que por óvulo congelado. Isto porque no momento em que os embriões são congelados eles já foram fertilizados e cultivados durante vários dias, demonstrando o seu potencial reprodutivo.