Entenda a classificação BI-RADS

Método é utilizado mundialmente para diagnóstico e acompanhamento do tumor

foto especialista
Dr. Wesley Pereira Andrade 
MASTOLOGIA - CRM 122593/SP
ESPECIALISTA MINHA VIDA
O termo BIRADS é um acrônimo para Breast Imaging Reporting and Data System, ou seja, é uma sistematização internacional para a avaliação mamária, interpretação do exame e confecção dos laudos de exames de imagem especificamente da mama. Esta classificação deve ser aplicada nos laudo de mamografia, ultrassonografia mamária e ressonância nuclear magnética das mamas e assegura maior confiabilidade ao exame. É uma padronização mundialmente adotada - em qualquer lugar do mundo, qualquer médico especialista nesta área entenderia uma classificação BIRADS 5, por exemplo.
O BIRADS é um manual de padronização que permite analisar as características das lesões mamárias (cistos, nódulos, calcificações) e estimar o risco de ser câncer de mama. Já aproveitamos para ressaltar que a maioria dos nódulos e das microcalcificações mamárias são benignos, ou seja, a presença em si de nódulos ou microcalcificações não quer dizer de forma alguma que o paciente está com câncer de mama.
A categorização é usada da seguinte maneira: o profissional médico que esta fazendo e/ou analisando o exame de imagem irá avaliar as alterações presentes no teste e classificá-las dentro dos critérios do BIRADS. A categorização é separada por notas, que vão de zero a seis:
BIRADSSignificadoRisco de câncer de mamaConduta
0Exame limitado - avaliação incompletaNão é possível estimarNecessita de exames adicionais
1Exame normalMuito baixoControle anual
2Alterações benignasMuito baixoControle anual
3Exame provavelmente benigno2%Controle semestral por um período de tempo
4Lesão suspeita para câncer20%Necessita realização de biópsia
5Lesão altamente suspeita para câncer95%Necessita realização de biópsia
6Lesão já com diagnóstico de câncer100%Tratamento oncológico

    BIRADS 1 e 2

    O mais comum é exames normais - nota 1 e 2 - passarem para notas 3 e 4 de acordo ao envelhecimento, podendo estar associados a doenças benignas e malignas da mama. Ou seja, ao longo da vida da mulher podem ocorrer algumas alterações na mama que necessitam de uma conduta mais especifica por parte do médico.

    BIRADS 3

    Mulheres cujo exame de mama tem nota 3 devem fazer o controle semestral por 1 a 2 anos. Se estiverem estáveis neste período poderão ser reclassificadas para BIRADS 2. A pesar de ter um risco de câncer estimado de 2%, a biópsia não se faz uma necessidade obrigatória, pois a própria biópsia pode trazer problemas e malefícios para a paciente. A conduta mais recomendada neste grupo, conforme recomendação da Sociedade Brasileira de Mastologia, da Sociedade Brasileira de Cirurgia Oncológica e demais sociedades médicas mundiais, é o controle semestral com um médico especialista.

    BIRADS 4

    Mulheres que apresentam BIRADS 4 necessitam de biópsia. A biópsia pode ser de agulha fina ou de agulha grossa (core biopsy ou mamotomia) a depender de cada caso. Desta biópsia poderíamos ter as seguintes situações:
    • Laudo benigno: basta apenas controle. Terá a sua nota rebaixada para 2
    • Laudo suspeito (presença de alteração): poderá ser necessária uma pequena cirurgia para adquirir mais material e descartar de vez a suspeita de câncer
    • Laudo maligno: será necessária uma cirurgia oncológica.

    BIRADS 5

    Uma mamografia ou demais exames de mama com BIRADS 5 demonstra que a suspeita de câncer neste grupo é altíssima. Nesse caso, elas necessitam obrigatoriamente de cirurgia. O médico ou médica pode até optar por uma biópsia antes da cirurgia, mas esta lesão precisa ser completamente removida cirurgicamente.

    BIRADS 6

    Nesse caso, a mulher está apenas fazendo um acompanhamento. Por algum motivo o médico necessitou fazer mais exames mamários, e os testes de princípio já terão nota 6 por questão de normatização do manual BIRADS. Também é de tratamento cirúrgico.

    Os resultados podem alterar?

    É importante ressaltar que as notas podem se alterar com o passar do tempo, conforme o avanço ou a regressão do câncer. Para as pacientes com suspeita ou com diagnóstico de câncer de mama (BIRADS 4 ou 5) é esperado que os exames venham com laudos BIRADS 2 após completarem o tratamento, denotando que o problema realmente está eliminado.


    Outra dúvida frequente é que os exames de imagem podem ter classificação BIRADS completamente distintas entre si, por exemplo, a mamografia pode ser nota 2, a ultrassonografia nota 3 e a ressonância mamária nota 4 - pois a classificação é aplicada para cada exame de forma independente. Nesses casos, o médico irá avaliar qual a melhor conduta.
    Uma outra possibilidade é o BIRADS 0, cuja tradução é que o exame detectou alguma coisa, mas não conseguiu esclarecer o problema. Esta classificação não é motivo nem para preocupação e nem para tranquilidade, pois o exame não serviu para se alcançar um diagnóstico preciso. Nesta classificação se faz necessário a realização de exames adicionais.